fbpx
Blog

Coisas de bebê: Análise de movimento?

By novembro 20, 2020dezembro 3rd, 2020No Comments

Coisas de bebê: Análise de movimento? Hoje vamos conversar sobre análise do movimento humano e o que isso tem haver com o bebê.

Muito prazer, eu sou a Liria, Diretora de Pesquisa da Anamê e, juntos vamos caminhar neste mundo dos bebês nos seus primeiros 1000 dias…

Análise do movimento humano

Você já percebeu que você consegue reconhecer uma pessoa, só de ver ou escutar a forma como ela anda? Somos capazes de reconhecer os padrões de movimento das pessoas que são próximas a nós. Muitas vezes não conseguimos detalhar o porque do reconhecimento. Só dizemos: “é o jeito dela!”.

Pois isso já nos dá indícios que existe sim um padrão único de movimento para cada pessoa mesmo em movimentos cíclicos e repetitivos como a marcha (que explicamos aqui). Isso significa que a marcha, por exemplo, pode ser usada como uma forma biométrica de reconhecimento das pessoas. Em outras palavras, biometria significa o estudo das características físicas e comportamentais dos seres vivos; bio (vida) + metria (medida).

Linha do tempo do estudo da marcha por Connor &Ross, 2018

O esquema acima mostra como desenvolveu-se as principais pesquisas em marcha:  a análise de marcha (laranja) , marcha “forense” (verde) e a biometria da marcha (azul). Além disso, ele traz uma linha do tempo (preta) indicando a época de desenvolvimento dos equipamentos. Para maiores informações acesse o artigo aqui.

Análise do movimento e o bebê

Interessante tudo isso, né? Mas, o que tem haver com o meu bebê?

Como pais, temos o interesse em formas e produtos que auxiliam e promovam do desenvolvimento dos nossos filhos.

E sabe-se que o desenvolvimento motor global da criança acontece muito antes do desenvolvimento da linguagem oral e o primeiro gesto direcionado a comunicação (geralmente o apontar) acontece nos primeiros 8-10 meses (Fitzpatrick et al, 2014).  Então, se eles não se comunicam oralmente, como decifrar o bem estar dos nossos bebês?

Uma das formas é pelo movimento! Isso mesmo, o movimento como descrevemos no início deste post, traz muito mais informações sobre o estado geral do bebê do que simplesmente a sua biomecânica. Dessa forma, quanto mais natural e ecológico esse movimento, maior a diversidade dos estímulos e maior a variabilidade dos movimentos realizados pelas crianças, proporcionando um desenvolvimento mais pleno.

Análise do movimento, o bebê e a pesquisa

Uma das maiores estudiosas na área de desenvolvimento infantil, Karen Adolph, professora em Nova York, discorre em um dos seus artigos, que os pesquisadores pouco sabem sobre o quanto as crianças engatinham e andam, como essa atividade é distribuída ao longo do tempo, qual a distância que eles se movimentam e para onde essas crianças direcionam o movimento, qual a frequência de queda e o que motiva as crianças a continuar e, como o movimento natural se altera com o desenvolvimento da criança. Dessa forma, sem a resposta a essas perguntas, como podemos descrever o desenvolvimento natural do movimento das crianças?

Esse desenvolvimento natural da criança é a base para a construção de várias teorias, é o guia para intervenções clínicas e direciona pesquisas em outras áreas como aquisição de linguagem, desenvolvimento cognitivo, desenvolvimento sócio-emocional, o brincar simbólico, sono e o desenvolvimento da visão natural. Mas, as teorias do desenvolvimento da locomoção e as terapias direcionadas para a locomoção atípica não parece conectada com o mundo real das experiências dos bebês. Por exemplo, 30% das crianças passam do sentar para o andar sem engatinhar. Isso não significa que ela tem um problema. É claro que o engatinhar é parte da sequência normal de desenvolvimento das crianças mas, certamente não é extremamente necessário para todas as crianças engatinhar antes de andar.

Movimento Humano, o bebê e a tecnologia

Até os anos 2000 aproximadamente, o foco das pesquisas em análise do movimento humano era em certificação e validação de vários tipos de sistemas que capturavam o movimento. Com  o avanço da tecnologia, atualmente existem várias formas de análise do movimento que permitem uma análise precisa. O desafio agora é interpretar essa quantidade imensa de dados de forma que ela nos forneça informações importantes sobre o movimento humano.

Sistema de análise tridimensional do movimento

imagem de uma análise do movimento em bebês

 

O padrão ouro, ou seja a forma mais confiável que existe, é a análise tridimensional do movimento. Porque tridimensional? Imagens como fotos e vídeos são bidimensionais ou seja, você consegue extrair informações em dois eixos, por exemplo, no eixo X e no eixo Y. Com o uso de duas ou mais câmeras (geralmente muito mais!) conseguimos extrair informações nos três eixos: X, Y e Z. E o que isso significa? Significa que conseguimos obter informações do movimento que o corpo humano faz para frente e para trás, de um lado para outro e de cima para baixo. Dessa forma, podemos rastrear de forma precisa o movimento dos nossos bebês!

Geralmente, este sistema é usado para avaliar alterações de movimentos típicos como a marcha, com crianças com paralisia cerebral, por exemplo. A avaliação do movimento pode auxiliar nas tomadas de decisão clínica e cirúrgicas dessas crianças.  mas, além disso, podemos avaliar o efeito do uso de fraldas ou do calçado, por exemplo. na forma como o bebê se movimenta.

Plataformas de forças

As plataformas força mensuram a força que o bebê aplica no solo: chamamos de Força de Reação do Solo. Em outras palavras, são as forças que o pé faz em contato com o solo e podem ser tanto verticais, laterais ou antero-posterior.  Quando medimos essa força durante um movimento como a marcha por exemplo, as curvas geralmente tem um padrão como mostra a Figura ao lado. ela corresponde a força vertical e geralmente tem esse formato em “M”, onde o 1o pico corresponde ao pico de força do impacto no contato inicial e o 2o pico ao impulso para frente realizado pelo mesmo pé.

É importante lembrar que os sistemas se complementam. As plataformas de força mensuram as forças que o bebê aplica no solo, com ou sem o uso de calçados por exemplo mas, essas medidas não se referem ao que acontece nas articulações por exemplo.

Achou esse artigo útil? Poste nas suas redes sociais, ele pode ser útil para outros pais também!

Anamê, tecnologias para cuidar da vida!

Espero que tenham gostado! Se tiver dúvida é só perguntar que iremos te responder!

Um abraço apertado, com carinho da Liria da Anamê

Dra. Liria Okai-Nóbrega. Pesquisadora, Doutora em neurociências e pós doutora em ciências da Reabilitação.