• White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White Twitter Icon
  • Branco Ícone Google+
  • White YouTube Icon
  • White Vimeo Icon

©2018 Noeh Baby | 31 99722.0449 / 31 4042.0449  | contato@noeh.com.brCNPJ 15.668.077/0001-01

Rua Pirapetinga, 322, Loja 5 - Bairro Serra | Belo Horizonte  

Tempo de entrega estimado pelos correios

SUBESTIMAR A CAPACIDADE DE UMA CRIANÇA É MATAR SEU POTENCIAL DE COMPREENSÃO DO MUNDO

17.01.2019

Quantas vezes já ouvimos a frase: “Ela não entende isso ainda, é muito pequena”.

 

Em minha experiência na escola, já vi colegas de trabalho lendo textos e trocando palavras ou expressões por outras, por julgar que as crianças não entenderiam, e falo de exemplos banais, como trocar a palavra equivocada por enganada.

Lembro que esse dia foi até engraçado porque após a leitura do texto, uma das atividades era para que as crianças falassem os sinônimos de algumas palavras, e não é que “equivocada” foi muitas vezes citada por elas?

 

Claro que existem palavras ou termos que não estão de acordo com a faixa etária, e as crianças realmente não têm que compreender, mas os adultos insistem na mania de subestimar a capacidade de compreensão das crianças em diversas situações, até mesmo em coisas simples.

 

Tenho uma sobrinha de um ano e cinco meses que vive me surpreendendo. Outro dia ela tirou todos os encostos do meu sofá e colocou todos alinhados no tapete formando uma cama e com outros dois fez um escorregador e ficou escorregando e caindo na suposta cama. Numa certa hora da brincadeira ela quase caiu de lado e bateu com a cabeça no chão, ao que ela olhou pra mim, assustada e falou: “nossa, desse lado não tem proteção, é perigoso”.

Olha... minha vontade era morder aquele pedacinho delicioso de gente há pouco mais de dois anos fora da barriga. Como ela simplesmente entendeu que uma parte da almofada não estava encostada no sofá e ainda deu nome a isso: “sem proteção”. De onde ela tirou essa palavra?

 

As crianças são assim, surpreendentes e capazes!

 

Às vezes o fato de a criança não nos dar as respostas, da forma que esperamos, não significa que ela não compreendeu.

 

Ser paciente, observar e ouvir mais, devolver as perguntas para elas são caminhos interessantes para você contribuir no processo de compreensão da criança.

 

 

Yara Almeida é pedagoga, gestora, idealizadora e sócia do ei! Empreendedorismo Infantil.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Compartilhar no Facebook
Compartilhar no Twitter
Please reload

Artigos Recentes
Please reload

Procurar por tags
Siga
  • Grey Instagram Icon
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey LinkedIn Icon
0