• White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White Twitter Icon
  • Branco Ícone Google+
  • White YouTube Icon
  • White Vimeo Icon

©2018 Noeh Baby | 31 99722.0449 / 31 4042.0449  | contato@noeh.com.brCNPJ 15.668.077/0001-01

Rua Pirapetinga, 322, Loja 5 - Bairro Serra | Belo Horizonte  

Tempo de entrega estimado pelos correios

SAI PRA LÁ MOSQUITO! COMO EVITAR AS PICADAS NOS BEBÊS?

08.01.2018

É só chegar o nosso verão quente e chuvoso que os mosquitos chegam junto! Muito além da coceira e irritação que causam nos bebês, podem transmitir doenças sérias. E, por isso, tiram a tranquilidade dos pais.

O verão é perfeito para a vida de um mosquito, principalmente o Aedes Aegypti. As chuvas constantes favorecem as águas paradas e cheirinho gostoso de suor dos bebês são um prato cheio para o mosquito viver tranquilamente. Esse mosquito listradinho, em especial, é rápido e silencioso e vem fazendo milhares de vítimas ao longo dos anos, picando mais no início da manhã e no final da tarde.

 

É preciso ficar atento para proteger seu bebê! Mas, como protegê-lo?

 

Existem algumas formas de proteger a pele do bebê: podemos proteger através do ambiente, da roupa e da própria pele. Ao contrário do que muitos pensam, cobrir a pele do bebê não é suficiente para evitar as picadas, já que 40% delas ocorrem por cima das roupas, segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria.

 

O ambiente deve ser protegido, principalmente, com telas mosquiteiros, evitando que o mosquito chegue ao bebê.  Ventiladores e ar condicionado também são úteis! Aparelhos elétricos com liberação lenta de inseticidas, quando utilizados, deve-se ter muita cautela pois os inseticidas são tóxicos e podem causar alergia.

 

Repelentes de pele devem ser utilizados com precaução. A Presidente do Comitê de Dermatologia da Sociedade de Pediatria do Rio afirma que crianças menores de 6 meses não devem usar repelentes na pele. Segundo ela, os pais devem proteger a pele do bebê apenas com óleo natural. O óleo pode despistar o cheirinho de suor e dificultar o pouso do mosquito na pele ajudando a proteger, mas, infelizmente, não o impede de picar. De acordo com a engenheira química, Dra. Fernanda Checchinato, os pais devem estar atentos ao tipo de óleo porque o cheiro pode atrair os insetos, o mesmo vale para perfumes. A Dra. também alerta para o uso de óleos com repelentes naturais, como citronela e andiroba, os mosquitos se acostumam rapidamente com o odor desagradável do óleo e voltam a picar.

 

Dos 6 meses aos 2 anos, o ideal é que o contato da pele com repelentes também seja evitado, mas, caso necessário, verifique o rótulo para saber qual substância contém na fórmula. Busque por opções que contenham IR3535 em sua fórmula, é um ativo mais ameno para os bebês e por isso recomendado. Em alguns países europeus são até indicados para bebês de apenas 1 mês de idade.

 

Para crianças acima de 2 anos, segundo a dermatologista pediátrica Lucia Mandel, "é preciso saber que tipo de substância está sendo aplicada. A mais comum, a D.E.E.T (dietiltoloamida), está presente na maioria dos repelentes que estão no mercado. Essa substância é tóxica e, por isso, deve ser usada com cautela. Em crianças, por exemplo, a concentração não deve ultrapassar 10%." Quanto mais concentrado, maior a duração.  Repelente infantil a base de D.E.E.T. não deve durar mais do que duas horas na pele.

 

Porém, engana-se quem pensa que repelentes de pele podem ser aplicados de duas em duas horas. Muito cuidado! O uso em excesso pode irritar a pele dos bebês, causar alergia, vômito, tontura, dor de cabeça e até causar problemas mais graves devido a intoxicação. Também para evitar intoxicação, os repelentes não devem ser aplicados nas mãozinhas ou mais de três vezes ao dia.

 

A opção mais saudável para os bebês, incluindo menores de 6 meses, são os repelentes de roupas e roupinhas repelentes a base de Permetrina. Esse tipo de repelente, além de evitar 100% das picadas nas áreas protegidas pela roupa, evita 90% das picadas nas áreas expostas pois formam um “campo de força” que impede os mosquitos de picar. Os repelentes de roupas atuam durante todo o tempo de uso e, mesmo após várias lavagens, o repelente aplicado nas roupinhas dos bebês continua atuando, continua protegendo! Outra grande vantagem dos repelentes de roupas é quem podem ser aplicados em qualquer produto têxtil, como roupas de cama, cortinas, carrinho de bebê, aumentando ainda mais o fator de proteção!

 

Pelo ambiente, pela pele ou pela roupa, o importante é curtir o verão e a temporada de férias longe dos mosquitos!

 

Espero que tenham gostado!

 

Tem sugestão de pauta? Envie para mim, anapaula@noeh.com.br

Quer receber mais artigos como esse? Se inscreva no link abaixo!

 

Um abraço apertado,

com carinho da Ana da Noeh

 

Noeh, tecnologias para cuidar da vida!

Produtos para a saúde infantil!

 

sapatos para bebês; roupinha repelente; primeiros passos; saúde infantil; repelente para bebê

 

 

 

Compartilhar no Facebook
Compartilhar no Twitter
Please reload

Artigos Recentes
Please reload

Procurar por tags
Siga
  • Grey Instagram Icon
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey LinkedIn Icon
0