fbpx
Blog

Covid-19: como proteger bebês e crianças do coronavírus?

By maio 7, 2020maio 8th, 2020No Comments

Covid-19: como proteger bebês e crianças do coronavírus? Uma doença conhecida por nós há tão pouco tempo que está nos deixando muito preocupados… Mas, acalmem o coração papais e mamães, do pouco que sabemos até agora, o que tem sido visto, de maneira geral, é que as crianças são acometidas com menor gravidade com quadros assintomáticos ou mais leves. Como os primeiros relatos dessa doença são de dezembro de 2019, conhecemos esta infecção há menos de 6 meses, ainda estamos aprendendo e vamos compartilhar com vocês o que sabemos!

A pediatra Beatriz Adriane e seus pacientinhos

Saber que as consequências nas crianças comumente não são graves não é motivo para deixar de tomar os cuidados com as nossas crianças. Afinal, não há como prever a gravidade do quadro e também porque elas podem ser transmissoras do vírus para os idosos ou pessoas com outras doenças.

Existem casos notificados de óbitos e casos graves em crianças, mas em proporções bem menores que o que ocorre em idosos ou portadores de comorbidades (diabetes, hipertensão, cardiopatia etc). Essas pessoas sim podem desenvolver casos graves devido ao contato com a criança infectada. Por isso, precisamos cuidar igualmente das nossas crianças para que a família toda fique protegida.

COVID-19: como proteger os bebês e crianças do coronavírus?

As medidas mais eficazes para o controle da transmissão são precauções básicas de higiene:

  • Lavagem de mãos, uso de álcool gel ou antissépticos – não é necessário usar mais de uma coisa, quando estiver disponível pia e sabão dê preferência para a lavagem de mãos, leve o álcool gel ou o antisséptico na bolsa para quando estiver na rua e não houver como lavar as mãos. O uso de antissépticos adequados é uma opção bastante eficiente para que haja uma duração maior de proteção nas mãos e até para proteger a pele do bebê do contato com álcool.
  • Toillete respiratória – usar lenço descartável e não espirrar ou tossir nas mãos e sim usando a parte interna do braço. As mãos podem contaminar superfícies como mesas e maçanetas.
  • Higienização de brinquedos – guardar brinquedos de pano ou madeira, dar preferência para brinquedos de plástico que podem ser higienizados com álcool 70° pois as crianças levam tudo na boca.
  • Higienização de mesas, maçanetas, acendedores de luz e outras superfícies onde tocamos com frequência com álcool 70° ou produtos de limpeza como hipoclorito ou desengordurantes.
  • Uso de máscaras – recomendado uso universal pelo Ministério da Saúde. Já obrigatório no Brasil em várias cidades, Belo Horizonte é uma delas. As máscaras devem ser usadas sempre que sair de casa e trocadas sempre que chegar ou ultrapassar mais de 2horas de uso. A máscara deve cobrir a boca e o nariz, ideal que seja de tecido duplo, e não devem ser usadas por menores de 2 anos (risco de asfixia e contaminação).

Proteja bebês e crianças do coronavírus

Coronavírus e a vacinação infantil

Devido ao risco de contágio do COVID-19 as famílias estão optando por ficar em casa e adiar as práticas de rotina, entre elas a vacinação. Porém, segundo recomendações da Sociedade Brasileira de Pediatria e da Sociedade Brasileira de Imunizações, a vacinação de rotina não deve sofrer atraso. Esse atraso pode deixar as crianças vulneráveis à doenças graves como pneumonia e meningite ou expostas à doenças reemergentes como Sarampo e Febre Amarela.

A vacinação contra Influenza (gripe) é fundamental pois, como estamos também no pico da circulação deste vírus, é importante afastar esse diagnóstico caso a criança apresente sintomas respiratórios e já tenha tomado a vacina contra Influenza. Para não expor a família e a criança, quando possível, é melhor vacinar em casa, uma vez que várias clínicas particulares oferecem o serviço de vacinação domiciliar. Quando essa não for uma possibilidade, busque locais em que é possível ir com horário marcado para não encontrar outras famílias ou procure um centro de saúde em horários mais vazios.

O que fazer com as consultas de rotina das crianças durante a quarentena?

As consultas de rotina de crianças mais velhas, que estejam bem e puderem ser adiadas, recomenda-se que sejam postergadas para um momento menos crítico. Puericultura de bebês pequenos ou crianças que têm alguma pendência, como ganho de peso ou atraso de desenvolvimento, precisam ser mantidas, mas devem ser realizadas com segurança – uso de equipamento de segurança, horários espaçados, apenas um acompanhante sem sintomas gripais.

Consultas de urgência no Pronto Socorro devem ser evitadas se a criança tem sintomas leves e não apresenta sinais de gravidade como vômitos frequentes, dificuldade para respirar e prostração sem febre. Aquela febre que começou hoje, mas a criança está bem e está conseguindo se hidratar um pouco não deve ser levada ao Pronto Socorro.

Uma opção tanto para consultas de rotina quando para pequenas urgências é a consulta por telemedicina na qual podem ser feitas as orientações necessárias sem expor a criança ao risco de contaminação. A telemedicina é a consulta virtual. Falamos mais sobre isso aqui no blog nesse post.

O isolamento social ainda é necessário, estamos numa curva ascendente de casos, ultrapassamos 8500 mortes no país, com algumas regiões onde a situação já está bem crítica como São Paulo, Rio de Janeiro, Norte e alguns estados do Nordeste. Não recomendamos que as coisas retornem ao normal ainda, as crianças (e os adultos) precisam evitar o contato com idosos (deixem os vovôs para visitar depois) e pessoas dos grupos de risco (gestantes inclusive) que não residam na mesma casa que elas.

O que o Covid-19 tem a ver com acidentes domésticos?

Além de todos os cuidados que o coronavírus nos demanda, outro ponto que precisamos estar atentos são os acidentes domésticos! Eles aumentaram 25% durante a quarentena, acredita?!

Afinal, as crianças estão sem escola, sem atividades extracurriculares e sem espaço para brincar, portanto com energia acumulada. Além disso, os pais estão em home office (raramente tem um adulto exclusivamente por conta de uma criança). Esses fatores juntos estão contribuindo para o aumento desta estatística. Os acidentes podem ser preveníveis com cuidados simples em mais de 90% das vezes.

Cuidados com queimadura no fogão (líquidos quentes, panela, forno), cuidados para não haver ingestão de produtos de limpeza ou medicamentos, cuidados redobrados para não haver afogamento em piscinas e tanques, risco de queda de janelas/escadas/lajes. Melhor prevenir do que remediar! Veja aqui o que a Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda! 

Portanto papais e mamães, se cuidem ficando em casa e se cuidem não só do Covid-19 tá?! Vimos como proteger bebês e crianças do coronavírus e também de outras doenças e de acidentes domésticos em tempos de quarentena!

Noeh, tecnologias para cuidar da vida!

Espero que tenham gostado! Se tiver dúvida é só perguntar aqui nos comentários que iremos responder!

Um abraço apertado, com carinho da Dra. Beatriz e da equipe Noeh

 

Artigo escrito em parceria com a Dra. Beatriz Adriane Gonçalves, Médica Pediatra_CRM-MG 45768.

Dra Beatriz é médica pediatra pelo Hospital das Clínicas da UFMG e intensivista pediátrica pelo Hospital Metropolitano Odilon Behrens, mestranda em saúde da criança e do adolescente pela UFMG. Encontre a Dra Beatriz nos canais abaixo e a tenha pertinho mesmo de longe!

Instagram: @dra.beatrizadriane.ped             Telefones: (31) 2551-1510/ (31) 99413-0001

Falar no whatsapp
1
Precisa de ajuda?
Olá, tudo bem?
Sou da Noeh! Pode me chamar quando quiser tá?! Responderei em breve!