fbpx
Blog

Meu filho cai muito. O que pode ser?

By janeiro 28, 2021fevereiro 9th, 2021No Comments

Uma das grandes preocupações dos pais está associada com as quedas das crianças, Seja a gravidade de cada uma, seja a frequência que isso ocorre, é sempre um motivo de frio na barriga. Por isso, é muito comum encontrar mamães e papais que nos procuram dizendo: “Meu filho cai muito. O que pode ser? É algum problema?”

Antes de tudo, se acalme! É normal que os pequenos caiam, sobretudo nos primeiros anos de vida. Imagine só como é difícil para o bebê se adaptar ao mundo: fala, caminhada, motricidade… enfim, tudo isso faz parte do crescimento. A cada dia a criança precisa se adaptar ao novo tamanho, ao novo espaço que ela ocupa, e também aprender a reorganizar todos os movimentos para funcionarem em harmonia. E, como isso tudo ainda não está sob total controle, as vezes esse grande sistema de conexões entre músculos, ossos, emoções, visão… falha, e, por isso, ocorrem as quedas.

Andar com equilíbrio requer experiência

Como já falamos, essa adaptação requer o desenvolvimento contínuo conjunto do sistema sensorial, visual e motor, o que acontece aos poucos nos bebês. Mas será que é só isso? Ou outros fatores interferem no equilíbrio dos pequenos?

Bem, até então apresentamos os aspectos naturais das quedas. Porém, existem sim alguns fatores, patológicos ou não, que podem intensificar os eventos. Veja só:

Dispraxia

Para qualquer ação feita pelo ser humano, por mais simples que seja, existe um planejamento seguido por execução. Esta habilidade é conhecida como praxia, mas nem sempre ela é bem implementada.

Existe, então, uma condição chamada de dispraxia. Nela, observamos a dificuldade para executar ações, seja apenas um ato, seja uma sequência de etapas. Além da execução mais difícil, o aprendizado de tarefas também pode ser mais lento. 

Em suma, na dispraxia vemos uma dificuldade do cérebro em planejar e executar as ações planejadas de forma eficiente. Uma dessas ações  pode ser o caminhar e, por isso, uma criança com dispraxia pode cair mais que as outras.

Neste caso, estamos diante de uma dispraxia motora, cuja coordenação muscular prejudica atividades como andar, comer ou se vestir. Complementando, existe, ainda, a dispraxia da fala e  da postura, sendo que a segunda também pode interferir no equilíbrio.

O diagnóstico da condição costuma ser feito entre os 3 e 5 anos. Lembra que no início é normal observarmos uma capacidade sensório-motora pouco desenvolvida? Por isso é importante aguardar para diagnosticar a dispraxia.

Aprenda mais sobre o início da caminhada do bebê!

Alterações musculoesqueléticas

Você já sabe que o sistema motor dos bebês ainda está em constante desenvolvimento. A fragilidade dos músculos e ossos pode sim influenciar no equilíbrio e ocasionar quedas. As crianças, quando começam a andar, ainda não têm os ossos completamente formados como nós adultos. Existem centros ossificados que são ligados por cartilagem a outros ossos. É como se só a parte do meio dos ossos já fossem osso mesmo, o resto é cartilagem.

Por isso, são tão flexíveis e molinhos os pezinhos. Também daí está o motivo dos pezinhos serem gordinhos. Essa capa de gordura é justamente para proteger a fragilidade dos pezinhos. Porém, existem certas condições nas perninhas e nos pezinhos que podem prejudicar a marcha e, por consequência, aumentar o risco de quedas.

Genuvalgo

Começando pelas perninhas, você já ouviu falar sobre genuvalgo? Esta condição existe quando os joelhos estão tão próximos que quase se tocam ou se tocam. Por outro lado, os pezinhos são afastados um do outro, de modo que é popularmente conhecida como pernas em tesoura ou em “X”. Geralmente, observamos o genuvalgo a partir dos 2 anos de idade. A princípio, a condição não requer tratamento, as perninhas vão se alinhando ao longo do tempo, conforme o corpinho vai se fortalecendo. Mas, enquanto isso não acontece, pode ser que prejudique a marcha da criança.

Pé plano

os pezinhos precisam se desenvolver para proporcionar o melhor caminhar. Uma das etapas do desenvolvimento é a formação do arco plantar — aquela curvinha que vemos no pé, sabe? Ela é muito importante para manter a sustentação muscular e tende a se formar depois que o bebê começa a andar. Enquanto a formação não está completa os pezinhos são mais fraquinhos, mais debilitados, por isso, nós observamos um pezinho mais plano, que, dependendo do grau e da causa, pode interferir no equilíbrio e ocasionar quedas.

Metatarso Aducto

Também dizendo sobre o fortalecimento dos pezinhos. O metatarso aducto é quando os dedinhos apontam para o centro do corpo, como se estivessem voltados para dentro. Também uma condição comum no desenvolvimento muscular e ósseo dos pés. Esses dedinhos apontados pra dentro podem causar tropeções por encostar um pezinho no outro ou o pezinho na perna contrária.

Existe um limiar onde as alterações visuais dos pezinhos são consideradas normais ou quando precisam de auxílio médico. Se ainda está te preocupando o posicionamento dos pezinhos, busque um ortopedista ou fisioterapeuta pediátrico. O fisioterapeuta Bruno Avelar, especialista em pés, pode te ajudar a entender.

Melhor calçado para bebês

Enfim, chegamos em um ponto crítico: o sapatinho do bebê! Qual você pensa que é o mais apropriado para a idade? Um sapato que é confortável para você também será para seu filho? Ou precisa de um cuidado maior?

Sem dúvidas, a segunda opção! Porém, a grande maioria dos calçados são miniaturas de calçados adultos. Muitas marcas apenas criam os modelos infantis diminuindo a escala, sem se preocupar nas características específicas dos pés dos babies.

O pezinho de neném é naturalmente mais largo na frente, não tem a curva interna, é mais gordinho, tem o calcanhar mais fino e o tornozelo mais largo. Além disso a caminhada não se dá rolando do calcanhar as pontas como nós adultos, a caminhada da criança começa chapada, colocando todo o pezinho no chão de uma vez, subindo mais os joelhos e afastando mais as perninhas uma da outra.

Outra questão é que não existe regulamentação de calçados, nem para tamanho nem para largura. Se até mesmo os adultos podem se sentir incomodados com tantas diferenças de fabricação, imagina no pezinho delicado do bebê? Qualquer design inapropriado pode causar desequilíbrio e desconforto para o pezinho, interferindo diretamente na qualidade da marcha.

Veja o que precisa se atentar pra calçar bem seu filho.

Conheça o Noeh, um sapatinho que oferece mais equilíbrio e segurança na caminhada

Você já ouviu falar sobre o Noeh? Ele é um calçado feito de acordo com o princípio do biomimetismo. Calma, vamos explicar! Nós, seres humanos, evoluímos para aprender a andar com o pé no chão, na terra, na areia… não é cenário dos centros urbanos, certo? Por isso, criamos um sapatinho que simula o caminhar na areia da praia.

É justamente este estímulo instável que vai fortalecer a musculatura dos pezinhos, auxiliar na formação da curvinha do pé e, enfim, melhorar o equilíbrio do baby. Veja na imagem abaixo como é a palmilha do Noeh. Anotou todas as dicas? Então, a princípio, se tranquilize! Embora seja uma queixa comum nos consultórios, se seu filho cai muito, busque orientação para saber se está dentro do esperado ou se requer melhor acompanhamento.

 

 

De toda forma, estimular o raciocínio lógico e a coordenação motora, além de escolher o calçado ideal para o baby, são dicas de ouro para qualquer momento! Em suma, se for necessário, o pediatra vai passar maiores orientações.

Escolha o melhor sapatinho para seu filho!

Se seu filho cai muito, mantenha a calma

Sim, se tranquilize. Como dito, é uma etapa de muito aprendizado e desenvolvimento rápido para os pequenos. O simples ato de dar um passo exige muitas habilidades, a começar pela consciência corporal. Ou seja, é preciso conhecer o próprio corpo para planejar uma ação e, em seguida, executá-la.

É importante lembrar que a criança está em processo de rápido crescimento. Isso quer dizer que, constantemente, ela precisa reaprender sobre o tamanho do corpo, sobre o espaço que ela ocupa no ambiente, reajustando seu corpinho para  se manter em equilíbrio. Então, não pense muito: “Meu filho cai muito.” Além de conhecer o próprio corpo, é preciso conhecer o ambiente. Assim, a criança pode começar a identificar os perigos, definir o destino final e aprimorar a experiência de andar. 

No começo, você vai perceber que a coordenação motora ainda é bem falha, descordenada… mas isso é normal! Com o tempo, tudo vai melhorando. Ah, existem também outras características da criança que dificultam a manutenção do equilíbrio. Até os 4 anos de idade, a parte superior do corpinho das crianças é proporcionalmente mais pesada que as outras regiões. As perninhas e bracinhos são mais curtos e o tronco e cabeça maiores. Então, isso dificulta o equilíbrio e pode também ser mais um motivo das  quedas, assim como a coordenação motora pouco desenvolvida, e o reajuste constante do tamanho do corpo ao espaço

Converse com a nossa equipe.

Por fim, veja o que você pode fazer

Bem, vimos acima alguns fatores que podem interferir na caminhada da criança. Nunca se esqueça que é fundamental comunicar nas consultas pediátricas se seu filho cai muito. Assim, ele será melhor examinado e você será devidamente orientado. Mas não vamos te deixar sem respostas! Veja algumas dicas para melhorar a caminhada do bebê!

Estimule a percepção e brincadeiras manuais

Incentivar o raciocínio lógico contribui para que a criança tenha uma melhor percepção visual e espacial. Isso é importante no momento da caminhada pois ajuda a planejar melhor a ação, seja desviando de objetos, seja definindo o destino. Para isso, opte por puzzles, jogos de tabuleiro e brincadeiras com os pequenos!

Brinque com sua criança, faça um esporte

Aqui, o raciocínio também é trabalhado, mas há um destaque especial para a coordenação motora. Fortalecer a musculatura, aprimorar o manuseio dos objetos, aumentar a noção espacial… uma simples brincadeira de bola poderia fazer isso, não é mesmo?

 

Noeh, tecnologia para cuidar de pezinhos!

Venha conhecer melhor sobre o Noeh e contribua para o melhor caminhar do seu filho!

 

Referências

Meu filho é  descoordenado, desastrado, cai muito! Você sabia que ele pode melhorar? Integra Kids. 

Meu filho cai muito. Baby Roger.

Dispraxia. Tua Saúde.

Quedas: por que acontecem e quais os riscos às crianças? Criança Segura Brasil.